terça-feira, 6 de outubro de 2009

Crise tirou 17 mil milhões às famílias...


Quebra nas poupanças pagava TGV e aeroporto

A crise levou 17 mil milhões de euros às famílias e os próximos tempos adivinham-se difíceis, sobretudo para os jovens e pessoas com rendimentos baixos, mais sujeitos ao desemprego. Os juros vão voltar a subir.
O impacto da crise financeira nas poupanças das famílias foi analisado pelo Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia, que deixou alguns avisos: 2009 continuará a ser um ano mau para os grupos sociais mais frágeis, entre os quais os jovens (os mais atingidos pelo desemprego ou trabalho precário) e as pessoas com mais baixos rendimentos que, por norma, têm menos qualificações e são também mais sujeitas ao desemprego.
E o estado de coisas ainda pode piorar, se a economia europeia recuperar mais depressa do que a portuguesa, avisa o gabinete de estudos: é que isso levará ao aumento dos juros ainda que a economia portuguesa não esteja preparada para lidar com dinheiro mais caro. Ou seja, as famílias devem preparar-se para novas subidas das prestações ao banco.
Menos um TGV e um aeroporto
Para já, e tomando como base dados até ao primeiro trimestre deste ano, o certo é que as famílias portuguesas viram o pé-de-meia encolher, sobretudo as que tinham dinheiro investido em fundos, incluindo planos de poupança reforma sem capital garantido, ou acções.
Em Março deste ano, o património dos particulares tinha baixado para 124,6% do Produto Interno Bruto (PIB), contra 133% em 2007 ou 172% no ano de 1998. Ou seja, em 2008 e no primeiro trimestre deste ano, as famílias perderam o equivalente a 17 mil milhões de euros das suas poupanças. Grosso modo, corresponde ao investimento previsto para construir o comboio de alta velocidade e do aeroporto de Lisboa.
Ainda assim, o impacto junto dos portugueses foi menor face ao sentido em países como a Espanha, a Grécia ou a Irlanda.
Por cá, não só o património das famílias baixou, como o destino dado ao dinheiro mudou. "A instabilidade decorrida no mercado de capitais e a elevada volatilidade dos mercados financeiros internacionais" levaram as pessoas a preferir produtos seguros, como depósitos a prazo, diz o relatório.
O documento ressalva, contudo, que, entretanto, a Bolsa de Valores tem recuperado, revelando "uma maior apetência pelo risco pela parte dos investidores". A subida da Bolsa vai-se traduzir, no futuro, "numa melhoria da riqueza das famílias, associada à valorização" do mercado.
Mas uma coisa é o património (o valor total de riqueza que cada pessoa tem) e outra é o rendimento (o dinheiro que a pessoa ganha, de uma forma ou outra). E o rendimento cresceu, no passado recente, embora menos do que em anos anteriores. O Gabinete de Estudos indica que, no ano passado, os rendimentos com origem em rendas ou juros subiu muito menos do que o costume, mas as remunerações de trabalho aceleraram. E dá como exemplo o aumento salarial da Função Pública.
Além disso, o estudo fala do impacto das medidas de combate à crise no rendimento das famílias, sobretudo o prolongamento do subsídio de desemprego, a redução do IVA e de algumas contribuições para a Segurança Social, que beneficiaram as empresas.

1 comentário:

paletadesonhos disse...

todos vamos pagar a factura , e a muito curto prazo ... brevemente terminam os fundos que estão a sustentar a formação profissional e o desemprego passará a ter outra face ...

AO LONGO DA FAMIGERADA "CAMPANHA ACCIONISTA BCP" EM 2000/2001, QUE O BANCO LEVOU A CABO COM AS ACÇÕES PRÓPRIAS, FOI PROVADO HAVER INDÍCIOS DE VÁRIOS CRIMES... NO EXERCÍCIO DE 2000, O MONTANTE TOTAL DE PRÉMIOS A DISTRIBUIR PELOS FUNCIONÁRIOS FOI DE 22.603.817,40€, EM QUE OS ACCIONISTAS NÃO TIVERAM DIREITO A DIVIDENDOS!!!
AS ENTIDADES SUPERVISORAS E ÓRGÃOS DE MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIVULGARAM AO PÚBLICO, MAS O BCP, MESMO COM A ACTUAL ADMINISTRAÇÃO, CUJO PRESIDENTE É O DR. CARLOS SANTOS FERREIRA, CONTINUA A EXTORQUIR, "ROUBAR" E A SAQUEAR DINHEIROS DAS CONTAS DAS VÍTIMAS (CLIENTES) SILENCIADAS E INDEFESAS, DANDO SEGUIMENTO PARA O BANCO DE PORTUGAL COMO SENDO DÍVIDA DE INCUMPRIMENTO, SUJANDO O "BOM NOME" DO CLIENTE... ENQUANTO OS PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS BANCÁRIOS CONTINUAM INTOCÁVEIS, SEM SER CHAMADOS À JUSTIÇA.

É A VERDADE DO QUE SE PASSOU E AINDA SE ESTÁ PASSAR NO MAIOR BANCO PRIVADO PORTUGUÊS! "MILHARES DE PESSOAS DESTRUÍDAS, EXTORQUIDAS E "ROUBADAS" DOS SEUS BENS PELO BCP (CAMPANHA ACCIONISTA MILLENNIUM BCP E OUTRAS SITUAÇÕES GRAVES)..."
- "TAMBÉM ALGUMAS NOTÍCIAS FINANCEIRAS ACTUALIZADAS"
_______________________________________________________________________________________________________

DURING THE INFAMOUS "CAMPAIGN SHAREHOLDERS BCP" In 2000/2001, the Bank has undertaken WITH OWN ACTIONS, HAS PROVEN Indications of HAVER SEVERAL CRIMES ... In 2000, THE TOTAL AMOUNT OF PREMIUMS FOR EMPLOYEES WAS A DISTRIBUTE OF € 22,603,817.40, in which shareholders were not entitled to dividends!!!
AND BODIES supervisors of media available to the public, but the BCP, EVEN WITH THE CURRENT ADMINISTRATION, WHICH IS THE PRESIDENT DR. CARLOS SANTOS FERREIRA, continues to extort, "theft" Drawing MONEY AND VICTIMS OF THE ACCOUNTS (CLIENTS) Silent and Helpless, following FOR BANK OF PORTUGAL AS BEING DEBT OF FAILURE (CRC) of the client. While the primary banking responsibility untouchables CONTINUE WITHOUT BEING CALLED TO JUSTICE.

IS THE TRUTH of what happened and if IS MOVING IN A MORE PRIVATE BANK PORTUGUESE! "Thousands of people destroyed and EXTORQUIADAS THEIR PROPERTY BY BCP (BCP MILLENNIUM CAMPAIGN SHAREHOLDERS AND OTHER serious )..."
- "UPDATES FINANCIAL ALSO NEWS OF THE WORLD"